Blog
Soul Portugal

Enoturismo Douro

Se é apreciador de vinhos, aldeias e monumentos históricos e belas paisagens, não cometa o pecado de vir a Portugal e não passar pelo menos três dias nessa região, afinal é uma região que já foi elevada a categoria de Patrimônio da Humanidade devida a sua beleza ímpar e magnífica.

É difícil escolher as principais atrações, mas escolhemos o roteiro mais bonito e abrangente para conhecer os vilarejos típicos da região, os diversos monumentos religiosos e históricos e as melhores quintas e adegas a serem visitadas, acompanhadas das melhores opções de hospedagem e restaurantes.

 

 

 

A Região

Em 2001 a UNESCO elevou o Alto Douro Vinhateiro à Património Mundial da Humanidade. Um título mais do que merecido e atribuído por unanimidade, que premiou a Região vinícola demarcada mais antiga do mundo, decretada pelo Marquês de Pombal em 1756. É uma região única por reunir as férteis e íngremes encostas a beira do rio Douro repletas de vinhas perfeitamente alinhadas, com as características singulares do microclima na região.

A estrada a beira do rio Douro, entre Peso da Régua e Pinhão, é uma das mais bonitas da Europa e as curvas que serpenteiam as encostas e dão acesso aos pontos mais altos das quintas, proporcionam vistas lindíssimas de uma paisagem soberba, onde a intervenção do homem, através das extensas linhas de vinhas soube valorizar a região.

Se não for apreciador de curvas, deixe-se envolver por um belo passeio de barco de algumas horas ou até um cruzeiro de alguns dias, ou faça um passeio de comboio que serpenteia as margens do Douro. Aos sábados, tem a opção de viver a tradição de séculos passados, pois é o único dia da semana que parte o tradicional passeio de comboio a carvão, conhecido na gíria local como Maria Fumaça.

Na época das vindimas, é uma experiência única ver os trabalhadores praticamente pendurados nas encostas íngremes fazendo a colheita manual das uvas. Por ser uma região com as vinhas mais antigas de Portugal, as propriedades serem de médio porte e a produção ter um caráter mais artesanal, os vinhos aqui produzidos sempre tem qualquer coisa de especial, onde cada visitante tem sempre um interessante e diferente ponto de vista.

Muitos conhecedores das principais regiões vinícolas do mundo, ficam surpreendidos e impressionados com a qualidade e com a perfeição do cenário duriense.

Além do interessante enturismo e dos passeios pelas belas paisagens envolventes, as visitas às aldeias típicas recheadas de monumentos históricos e religiosos são imperdíveis, onde vale destacar Amarante, Tarouca, Lamego, Provesende, Vila Real, Vila Nova de Foz Côa e as Aldeias Históricas de Portugal como Castelo Rodrigo, Almeida e Marialva.

 

DOURO

 

O Roteiro

Dia 1:

  • Lisboa  Tarouca  Lamego  Visita as caves da Murganheira  Visita a Quinta do Vallado (ou a Quinta da Pacheca, depende de onde vai dormir)

  • Distância percorrida: 400km

  • Acessos: através da autoestrada A1 e de estradas nacionais em boas condições.

  • Jantar: Gato Preto (mais simples) ou Castas e Pratos em peso da Régua.

  • Noite:

Quinta da Pacheca

Quinta do Vallado

Quinta Nova de Nossa Senhora do Carmo

Casa das Pipas (Quinta do Portal)

Morgadio da Calçada

Douro Palace Hotel

Hotel Lamego

 

Dia 2:

  • Um dia para conhecer a estrada mais bela de Portugal, a começar pelo trecho entre Peso da Régua e Pinhão.

  • Visita a Quinta do Têdo (vista do afluente do rio Douro) – Visita a Quinta do Pôpa (vistas muito bonitas e vinhos surpreendentes) – Visita e almoço na Quinta do Crasto ou na Quinta Nova de Nossa Senhora do Carmo ou na Quinta do Portal (Casa das Pipas) – Provesende – Vila Real

  • Distância percorrida: 120km

  • Acessos: através de estradas nacionais em boas condições.

  • Jantar: Excelente restaurante gourmet da Quinta da Pacheca com pratos regionais.

  • Noite: mesmo hotel da noite anterior

 

Dia 3:

  • Pinhão – Passeio de barco pelo rio Douro e/ou Passeio de comboio às margens do rio Douro. O passeio de barco é mais bonito, porém aos sábados, o passeio de comboio tem um charme a mais, pois é o único dia da semana que parte o comboio a vapor, conhecido na gíria local como Maria Fumaça – Visita a Quinta das Carvalhas ou a Quinta da Romaneira

  • Jantar: Rui Paula (DOC) em Folgosa do Douro ou LBV em Pinhão 

  • Noite: Mesmo hotel da noite anterior

 

Dia 4:

  • Checkout

  • Se for para o Porto, passe em Amarante

  • Se for para Lisboa: Batalha – Alcobaça – Óbidos – Mafra

  • Contiunando a viagem para Este, onde se encontra a bela região do Douro Superior e as Aldeias Históricas de Portugal: Torre de Moncorvo – Freixo de Espada a Cinta  Visita à Quinta da Duorum Vinhos  Castelo Rodrigo ou Marialva

  • Distância percorrida: 300km

  • Acessos: através de estradas nacionais em boas condições.

  • Jantar: Vila Nova de Foz Côa

  • Noite: Casa Cisterna

 

Dia 5:

  • Cidadelhe  Trancoso  Marialva  Vila Nova Fôz Coa

  • Almoço no Museu do Côa

  • Jantar a luz das velas no vale do Côa

  • Distância percorrida: 150km

  • Acessos: através de estradas nacionais em boas condições.

  • Noite: Casa da Cisterna (mesmo hotel da noite anterior)

 

Dia 6:

  • Muxagata  Passeio de jipe com visita e almoço na Quinta da Ervamoira, Ramos Pinto (contacte-nos através da info@soulportugal.com) - Tarde livre para apreciar os traços históricos da bela aldeia de Castelo Rodrigo

  • Distância percorrida: 120km

  • Acessos: através de estradas nacionais com muitas curvas mas em boas condições de conservação.

  • Noite: Casa da Cisterna

 

Dia 7:

  • Checkout

  • Almeida  Castelo Mendo (opcional) – Belmonte  Sortelha  Castelo Novo – Castelo de Almourol  Lisboa

  • Distância percorrida: 400km

  • Acessos: através das excelentes autoestradas A2 e A23, e de estradas nacionais em boas condições.

 

CONTACTE-NOS (info@soulportugal.com) PARA PERSONALIZAR O SEU ROTEIRO EM PORTUGAL! 

 

Quando visitar

A época mais interessante para conhecer as regiões vitivinícolas é durante o período das vindimas, que geralmente ocorrem nos meses de Setembro e Outubro, pois acontecem muitas festas típicas regionais e tem-se a oportunidade de participar activamente de algumas vindimas com direito a colheita das uvas e fazer a tradicional pisa a pé. No Douro especificamente, é muito bonito ver as pessoas “penduradas” nas escarpas fazendo a colheita.

Outra época interessante é maio, junho e julho quando o tempo é bom e o verde intenso e as flores da primavera dão um toque muito bonito em todas as regiões de Portugal.

Evite agosto que é o mês de férias Europeu e tudo fica mais cheio e caro.

Março, Abril e Novembro também são boas opções, pois o tempo ainda está bom, mas as vinhas ainda não estão tão belas.

Não recomendamos o mês de Janeiro porque é muito frio e chuvoso e muitas atrações turísticas podem estar fechadas.

Douro

 

 

 
back to top